Últimas Publicações

Anúncios


Economia e condomínios verdes

Condomínios já podem trocar óleo de cozinha usado por descontos na conta de energia

O óleo usado na cozinha pelos moradores do condomínio pode ser revertido em desconto na conta de energia das áreas comuns, ou seja, a conta de luz do condomínio.

Para tanto, é preciso conscientizar todos sobre o descarte apropriado para o óleo, a ser recolhido pela Coelba, como parte das ações do projeto Vale Luz, que integra o programa de eficiência energética da concessionária.

A iniciativa, que já previa descontos no recolhimento de resíduos sólidos recicláveis (papel, plástico e alumínio), agora inclui a coleta do óleo de cozinha. E aí tanto faz se o óleo é de soja, girassol, canola, gergelim, amendoim, de milho, de coco, de algodão e de mamona, tudo vale, até mesmo o azeite de oliva e o azeite de dendê.

 

"De modo geral, as pessoas têm uma certa dificuldade de descartar o óleo adequadamente e, por isso, já havia pedidos de condomínios para que a gente incluísse também este resíduo no projeto Vale Luz", conta a gestora de eficiência energética da Coelba, Virgínia Forte.

Como fazer

As instruções da Coelba para os moradores são as seguintes: após utilizar o óleo, é necessário deixá-lo esfriar completamente. O armazenamento deve ser feito em garrafa PET transparente de refrigerante ou água, "que deve estar bem limpa, sem qualquer resíduo anterior", frisa Virgínia.

Outra orientação é usar um funil para facilitar a entrada do óleo na garrafa e um coador plástico para evitar despejar resíduos de alimento. Conforme for utilizado, o óleo deve ser armazenado nas garrafas bem fechadas para evitar vazamentos.

Quando a garrafa estiver completamente cheia, os moradores devem despejar o conteúdo na bombona do condomínio, de 50 litros. Cada condomínio compra apenas uma primeira bombona, que custa, em média, R$ 30. Depois, quando for recolher o produto, a Coelba leva a bombona cheia e deixa uma vazia para que seja novamente usada para o descarte do óleo.

A Coelba faz a coleta no condomínio a cada semana ou quinzenalmente, a depender do volume do condomínio. Em média, cada bombona cheia representa um desconto de R$ 15 na fatura de energia.

Inscrição

Para participar, o condomínio precisa estar inscrito no projeto Vale Luz Condomínio, que integra o Programa de Eficiência Energética da concessionária. O síndico deve solicitar a participação no projeto Vale Luz por meio do e-mail: eficiencia@neoenergia.com. Ele receberá um formulário para ser preenchido e entregue pelo mesmo e-mail.

A Coelba faz, então, uma avaliação: é preciso que o condomínio atenda a alguns pré-requisitos, como ser residencial e não ter convênio ou parceria com cooperativas ou associações de catadores de materiais recicláveis.

No Condomínio Morada Alto do Imbuí, no bairro de mesmo nome, em Salvador, já era feita a armazenagem do óleo de cozinha: "Além da questão ambiental, a eliminação do despejo do óleo nas pias implica redução dos custos de manutenção das tubulações do condomínio", diz a síndica Elane Graziele. "Desde que adotamos a coleta do óleo de cozinha, passamos a realizar a manutenção de seis em seis meses, em média".

O custo com o serviço no condomínio dela, que reúne 394 apartamentos em duas torres, é de, aproximadamente, R$ 3 mil. "Agora, a gente vai agregar as vantagem do descarte ambientalmente mais adequado do óleo ao desconto na conta de energia", completa.

A Coelba informa que o morador que quiser obter desconto na conta da residência também pode participar do projeto, levando as garrafas PET de óleo para os postos no Salvador Shopping e no Salvador Norte Shopping. No condomínio, entretanto, terá mais comodidade, não tendo que se deslocar de casa.


O que fazer com o óleo usado

Deixe esfriar - Após utilizar o óleo, é necessário deixá-lo esfriar completamente.

Use garrafas PET - Todo armazenamento deve ser feito, previamente em casa pelos moradores, em garrafa PET transparente de refrigerante ou água, que devem estar bem limpas sem sobras de outros produtos, como bebidas.

Sempre coar - Usar um funil para facilitar a entrada do óleo na garrafa e um coador plástico para evitar despejar resíduos de alimento ou temperos, como cebola usada em alguma fritura, por exemplo.

Use bombona - O óleo das garrafas PET deve ser despejado pelos moradores na bombona para ser recolhido pela Coelba.